terça-feira, 16 de dezembro de 2008

"Mãe, quero furar as orelhas!"


Pois é, esta conversa começou há já algum tempo... E eu andei a pensar sobre o assunto.
Hoje, num impulso, disse: "Vamos a isto!" E lá fui. Mas antes disso tive uma conversa com ela e expliquei-lhe: "Luísa, vai fazer impressão... É uma maquineta que põem na orelha e que fura, sim? Não vais chorar, pois não?" Que sim, que sabia, que sim que se ia portar bem. Só que o desfecho da história não foi feliz... Ao fim do primeiro furo, as lágrimas escorriam pela cara abaixo e a goela estava aberta num berreiro ensurdecedor. E lá voltámos para casa... e com uma (UMA!!!!!!!!!!!!!!!) orelha furada!
Porque é que fui na conversa? Porque é que me deixei convencer por uma pirralha com 4 anos? Porquê? Porquê? Porquê? Estou consumida pela culpa e pela frustração.
E ela? Está óptima a ver as Winx... como se nada tivesse passado!
Esta coisa de ser mãe é muito complicada de gerir...

sexta-feira, 28 de novembro de 2008



... Mas volta a ser o primeiro dia do resto da minha Vida!
E essa é a melhor sensação do mundo!

terça-feira, 25 de novembro de 2008

Namorico!

A Luísa contou-me, com grande excitação, que tem um namorado: O Miguel Costa!
Meu Deus! Aos 4 anos... Que vou eu fazer?
Mas como sou uma mãe a fingir-me de moderna à noite perguntei:
- Então, como está o Miguel, o teu namorado?
- Por acaso, anda um bocadinho apalhaçado!
Esta minha filha é tão esperta... Já o tirou pela pinta! Mas ainda assim vai encantar-se por muitos palhacinhos durante a sua vida amorosa!
Enfim, é o inicio de uma longa caminhada. Espero que a façamos juntas!

segunda-feira, 17 de novembro de 2008

E... Estamos de volta!


Já passou! Mas só para mim... agora a gripe aterrou noutro corpo, que está tão sofrido como o meu esteve na semana passada. Mas ainda assim estamos de volta! E o Sol volta a brilhar!

quarta-feira, 12 de novembro de 2008

De molho!

Estou assim há dois dias...
E a paciência está a esgotar-se...
Odeio estar doente!

quarta-feira, 5 de novembro de 2008

História

Já tinha visto cair o Muro de Berlim...
Agora esta eleição histórica... Comovo-me com o mundo, que muda ao vivo e a cores, basta abrir os olhos!

segunda-feira, 3 de novembro de 2008

Melancolia

Estes dias assim, em que o céu se põe negro, em que o frio teima em não nos largar o corpo e nada acontece... não ajudam nada. Mas alimento-me da esperança de uma lareira acesa e de um abraço até aos pés dentro de muito pouco tempo.

sexta-feira, 31 de outubro de 2008

Vende-se!




Tenho o meu carro à venda!

Peugeot 207

Diesel

5 portas

Um ano

12.000 km

Preto

Ar/cond.

Fecho central

15.000€

quinta-feira, 23 de outubro de 2008

terça-feira, 21 de outubro de 2008

segunda-feira, 20 de outubro de 2008

Bolos e mimos!


Pois foi... Luisinha fez 4 anos!
Tá linda! Enorme! Feliz! E com tosse... outra vez!
Viveu dias de felicidade ao celebrar o seu aniversário e eu tentei satisfazer-lhe todos os desejos.
Eu sei que a mimo, mas também sei que esta é a hora de o fazer. E nada paga o sorriso quando recebeu os amigos na sua festa de anos e o som da sua gargalhada enquanto lhe cantaram os parabéns!
Já passaram quatro anos desde que nos vimos pela primeira vez e ainda hoje me surpreendo quando olho para ela... É minha! É mesmo minha! Por isso mimo-a! É o minimo que posso fazer...

De volta!


Sim, estou de volta! A pedido de várias famílias e graças à acalmia. Pois, porque não andei por aqui por preguiça ou por falta de novidades. Não tive foi tempo. Aconteceu-me de tudo!
A L. adoeceu e nesse mesmo dia rebentou-se a "prumada" (termo que não sei se está correcto - Ritinha, tu que és arquitecta, corrige se estiver mal) do meu prédio mesmo na minha cozinha. Que raio de sorte! Água por todo lado... Chama-se o Sr. Jorge (o meu handyman de serviço), fala-se com a Srª administradora do prédio, acciona-se o seguro, vem o perito, e no meio disto tudo a casa fica inabitável. Mãe e filha fazem retirada estratégica para casa da avó de malas e bagagens. Estada essa que durou uma semana.
Pelo meio, Gu e Rita rumam a Luanda para mais uma aventura do seu casamento. Serão 3 meses... Vão passar rápido. Quem quiser saber novidades contadas diariamente basta visitar Luanda... ou a cidade intangivel! Nós, os mais privilegiados falámos no Skype, eleito pela família o Rei das comunicações online. É bom olhar para vocês... faz-nos sentir mais perto!
Depois começaram os preparativos do aniversário da princesa. Que mais parece filha de ciganos, porque a comemoração teve direito a 3 festas. Não é engano foram mesmo 3 festas! Com direito a 3 bolos: Hello Kitty; Winx e Winx (as eleitas desta temporada).
Terminadas as festas e regressadas à nossa casa, seca, estamos de volta!

terça-feira, 30 de setembro de 2008

Mamãs e papás... e o cão!

- A que brincaram no recreio?
- Às mamãs e aos papás!
- Quem é a mãe?
- A Catarina!
- E o pai?
- O Hugo!
- E tu quem és?
- O bebé!
- E o Miguel?
- É o cão!!!!!
Soltei uma gargalhada incontrolável ao imaginar este cenário de uma família feliz a brincar pelo recreio do colégio. Mas fui severamente repreendida...
- Mãe! Não tem graça! Estás taralhoca? Vê lá se te aclamas...
E que remédio tive senão acalmar-me... Mas só de pensar ainda tenho vontade de gargalhar.

segunda-feira, 29 de setembro de 2008

domingo, 28 de setembro de 2008

Foi bonita a festa, pá!!!

Que giras que estávamos! Tanto que os divertimos!
Foi tãoooooooooooo bonita a festa, pá!!!!!!!!!!!!

quinta-feira, 25 de setembro de 2008

Se eu fosse assim...

... Ajudava. E muito!

Festas...


E pronto... Eis que mais uma vez me deparo com a eterna dúvida sobre o que vestir.
Vestido? Calças? Sandálias? Sapatos? De salto? Rasos?
E ainda falta o cabeleireiro, as unhas, os pés... Ufa!!!

sexta-feira, 19 de setembro de 2008

I Kissed a Girl - Katy Perry

Já não punha aqui uma musiquinha há muito tempo...
Esta é uma homenagem ao quarteto maravilha!!!
(E não, não vos vou beijar na boca, mas gosto de vocês à brava)
PS: Mãe eu não fumo coisas esquisitas... Fica tranquila, foi só uma brincadeira da SMS...

segunda-feira, 15 de setembro de 2008

Festas de anos!


Organizar uma simples festa de anos para uma criança tornou-se uma tarefa quase tão complicada como pensar nos preparativos para um casamento.
A minha filha faz 4 anos de hoje a um mês e eu, já a prever a corrida louca aos locais que organizam festas de crianças, hoje mesmo fiz a minha primeira abordagem ditos estabelecimentos. Tal como era de esperar, TUDO PRÉ-RESERVADO!!!! O que é isto? o que é isto??? Bom, mas lá encontrei um sítio disponível, para o dia e para a hora que quero fazer a festinha da Luísa, e tal como os outros PRÉ-RESERVEI prontamente... diria mesmo histericamente, não fosse aquilo escapar-me por entre os dedos. Ufa!!! Tá marcado. Agora é só passar por lá para:
  • Conhecer o espaço
  • Pagar um sinal
  • Receber os convites para entregar aos meninos convidados
  • Escolher o tema da festa
  • Escolher o respectivo bolo
  • E três dias antes, nem mais nem menos, dizer quantos meninos vão e até (imagine-se) dizer os que não responderam ao convite... não vá que apareçam...

Não acho normal... e mais do que isso, irrita-me ter que alinhar nisto. Mas a Luísa vai ficar feliz e a minha casa não tem espaço suficiente para albergar mais de 20 crianças e só a ideia de ficar com tudo num caos deixa-me sem força. Por isso... alinho!

Todas estas deambulações fazem ter saudades das festas de anos que a minha mãe organizava em casa, com as minhas tias e a minha avó a ajudar: Uma trazia o bolo de bolacha, outra a bavaroise de frutos em calda, a avó ficava responsável pelo arroz doce e assim por diante até a mesa ficar colorida (os smarties e os rebuçados "diamante" substituiam as gomas de agora) e repleta de comidas maravilhosas. Os sumos Tang, as batatas fritas Pála-Pála e o bolo de aniversário, que tinha sempre uns bonequinhos de plástico cuja base ficava impreganda de uma gosma açucarada que não saia nem por nada, também não podiam faltar. Ah! e a hóstia. Uma plaquinha de um material indecifrável, mas comestível, onde vinha o nosso nome escrito no bolo de anos. Às vezes vinha escrito directamente no bolo outras vezes na tal plaquinha. Para piroso venha o diabo e escolha... Mas divertíamo-nos muito, deixávamos a casa num caos e acabávamos a noite a dormir debaixo da mesa da sala, enquanto os pais jogavam póquer sobre o pano verde. Bem mais simples não? Ah! e para organizar isto, bastava nos telefonemas (quase) diários entre as mães combinar tudo.

A vida é simples, nós é que complicamos... e muito!

Regresso à escola!

Hoje voltamos a vestir o bibe, a fazer o trajecto habitual e a entrar pelo portão de sempre. E com a alegria de (quase) sempre. Ficaste orgulhosa por entrares na sala dos 4 anos... e eu também. O Verão passou por ti e deixou marcas: Cresceste! E toda a gente reparou. As despedidas foram ternas, entre abraços e beijos, e por lá ficaste com o sorriso de orelha a orelha, que é uma das tuas imagens de marca!
Não soube grande coisa do que por lá se passou... Apenas te consegui arrancar, a saca-rolhas, o que almoçaste e um "sim", sem grande entusiasmo, se tinhas gostado de voltar a ver os teus amigos. Para além destas poucas declarações trouxeste o nariz a pingar... Enfim... meu instinto de mãe disse-me que estavas feliz! Benvinda a mais um ano lectivo!!!

quarta-feira, 10 de setembro de 2008

Eu hei-de aprender...

Sempre odiei números. Não tenho jeito, pronto!!!
E trabalhar com uma folha de cálculo, para mim, é um suplício. Sinto-me cansada só de olhar para aqueles quadradinhos todos. É o mesmo tipo de cansaço que sinto quando me falam de impostos ou de fundos de investimento. Fico sem força nos braços e com o cérebro mole.
Enfim... Cada um é para o que nasce e eu, definitivamente, não nasci para conviver com números. Mas tenho esperança, pode ser que um dia consiga combater esse cansaço e aprender a lidar com números, folhas de cálculo, impostos e fundos de investimento!

terça-feira, 9 de setembro de 2008

O melhor lugar do mundo!

Ele há lá melhor lugar no mundo... seja em qualquer parte do mundo!
É aqui que durmo, que sonho, que amo, que me deixo amar, que mimo, que sou mimada, que leio, que vejo televisão, que penso, que planeio, que choro, que rio e que não faço nada...
Já fiz tudo isto em muitas, espalhadas pela cidade, pelo país, pelo mundo... Numas fui feliz, noutras nem por isso, mas serviram sempre de porto de abrigo para as necessidades do momento.
Quem é que não concorda que não há melhor prazer do que escorregar para dentro de um leito, todo branco, recheado de almofadas e sentir a textura macia e a frescura do algodão a deslizar pela pele???
Sempre que o faço, com os sentidos despertos para as melhores coisas da vida, penso: Não há melhor lugar no mundo!!!

quinta-feira, 28 de agosto de 2008

Reencontros

"Só tenho saudades com as pessoas presentes. Na ausência delas, esqueço-me. É quando as vejo volto a sentir amor e saudades..."
Foi bom rever-te I. Mesmo que virtualmente...

segunda-feira, 18 de agosto de 2008

Abraço telefónico


- Tiveste sonhos bons, querida?
- Sim...
- Sonhaste com quê?
- Contigo! Tenho tantas saudades tuas...

E pronto... cá estamos! Atolados!!!

Os regressos de férias são sempre dificeis... mas depois das três semanas em que estive atolada de mimo e bolas de berlim, ainda é mais dificil voltar para uma casa vazia, onde estou atolada se solidão, e para um escritório, onde estou atolada de trabalho!
Luto contra a depressão com unhas e dentes! Mas esta é uma batalha dificil de travar...
Acho que me vou atolar de boas memórias!

sexta-feira, 8 de agosto de 2008

30 anos


Há 30 anos (meu Deus... 30 anos!!!) nasceste!

Na altura preferia que tivesses sido uma menina... para eu puder brincar. Correste o risco de ir pela conduta do lixo abaixo. Para ver se me acalmavas o ciúme enviaste-me um presente, uns cartões com uns bichos para eu aprender a alinhavar... Vim-te conhecer uns dias depois, mas não aguentei muito tempo, choravas muito! E refugiei-me de novo nos pães com marmelada e queijo da nossa avó e nos dias de liberdade absoluta que só o Vale da Guarda nos soube dar...

Cinco anos de diferença foram-se notando ao longo do tempo, mas fomos sempre um do outro nas cumplicidades, nas brincadeiras, nas brigas. Hoje, 30 anos passados, continuamos um do outro... sobretudo na cumplicidade de não ter que dizer mais do que duas palavras para saber o que outro está a falar, nos olhares e até nos silêncios!

Gosto de ti, pá! Muito!

Parabéns, Mano Gu!

PS: Ah! ainda bem que nasceste menino, porque vais ser sempre o MEU menino!

Não se passou comigo, mas a minha filha era bem capaz de uma destas...

"Caminhava com a minha filha de 4 anos, quando ela apanhou qualquer coisa do chão e ia pôr na boca.
Ralhei com ela e disse-lhe para nunca fazer isso.
-Mas porquê? - Perguntou ela.
Respondi que se estava no chão estava sujo e cheio de micróbios.
Nesse momento, a minha filha olhou-me com admiração e perguntou:
- Mãe, como sabes tudo isso? És tão inteligente...
Rapidamente reflecti, e respondi-lhe:
- Todas as mães sabem estas coisas. Quando alguém quer ser mãe, tem que fazer um teste e tem que saber todas estas coisas, se não, não pode ser mãe.
Caminhámos em silêncio cerca de 2, 3 minutos.
Vi que ela pensava ainda sobre o assunto, e de repente disse:
- Ah, já percebi. Se não passasses o teste, tu eras o pai.
Exactamente, respondi com um grande sorriso na boca."

Obrigada I.

sexta-feira, 25 de julho de 2008

Férias!!!!


Estão previstas três semanas, a partir de hoje. Espera-me muito mimo, muita bola de berlim, muitas banhocas, muitos livros, muitas risadas... Tudo o que mereço! Lá para meio de Agosto estarei de volta!

quinta-feira, 17 de julho de 2008

Conversa de meninas


- Mãe, gostas de carros cor-de-rosa?
- Gosto, querida! (respondi para não a desiludir...)
- Eu também!
- E porque é que gostamos de coisas cor-de-rosas?
- Porque somos PIROSAS!!!!!!!!!!!

Coisas simples

Às vezes parece que temos que elaborar muito para conseguirmos imaginar como será ser feliz... Mas a vida vai-nos sempre dizendo que a felicidade está nas coisas mais simples. Ouvir música com os cabelos ao vento, rebolar na relva com os nossos filhos, os olhares cumplices, uma mão dada no momento certo, um chá com torradas depois de um banho quente no final de um dia comprido, uma tarde junto à piscina rodeada de almofadas brancas e, para terminar, um abraço até aos pés.
Não custa nada aproveitar... Às vezes o que custa é acreditar...

sexta-feira, 4 de julho de 2008

Estou a caminho...


Sim, estou a caminho da minha região favorita (ainda hei-de lá morar!!!). Volto logo, logo!

quinta-feira, 3 de julho de 2008

Amy

E cá está ela! Dá audiências! canta como o caraças! e fascina-me... Ele há coisas que não se explicam!
Esta segue em repeat...

terça-feira, 1 de julho de 2008

Expectativas

"The expected is the beginning. The unexpected is what changes your life!"
By Meredith Grey
(E o que eu adoro esta série!!!)

segunda-feira, 30 de junho de 2008

Cheira e sabe a férias!!!

O Mundo ao contrário

Hoje os jornais online estão pejados de notícias que me deixaram de boca aberta. E não, não estou a falar de mais um aumento do petróleo, porque isso já não espanta ninguém, assusta, mas não espanta. Refiro-me a coisas como um tribunal português (sim, porque isto na China é normal) suspender o blogue Póvoa Online, que já arranjou forma de não ser calado em http://povoaoffline.blogspot.com/, porque isto, felizmente, agora já é mais dificil manter as vozes incómodas caladas. A morte de 20 bebés em apenas uma semana, num hospital do Brasil, sem que ninguém consiga explicar porquê!!! E finalmente o milagre da funcionária pública que de inválida passou a mulher hiperactiva. Ele há cada hipócrita! Caramba! Ainda o que anima isto é ver a Amy Winehouse a esmurrar um fã em pleno concerto.

sábado, 28 de junho de 2008

Momentos

A minha última experiência marítima não tinha sido lá grande coisa... Mas hoje, no mar, experimentei momentos de uma tranquilidade inigualável. Estava sol, vento q.b. para que a bolina fosse embaladora e a companhia deu-me espaço sem nunca me deixar sozinha. Realmente é verdade, depois da tempestade vem a bonança. Em boa hora!

Obrigada Miguéis

sexta-feira, 27 de junho de 2008

Recordação presente

No verão passado tive acesso a esta pérola, que agora me serve que nem uma luva.
Obrigada Pipoca por me ajudares a recuperar a memória.

Características

Sou arraçada de grega, com uma mistura de italiana. Dramática e passional! Sim, sou eu... muito prazer!

quinta-feira, 26 de junho de 2008

domingo, 22 de junho de 2008

Cicatrizes

A RTP 1 está a passar um documentário sobre Xanana Gusmão. As imagens são marcantes pela beleza imprimida, que transformou uma simples filmagem num trabalho quase fotográfico. Mas as palavras ditas por alguns intervenientes são avassaladoras. Numa visita a uma aldeia, Xanana conhece uma menina de 13 anos, Flávia de Jesus, que tem uma cicatriz, bem vincada, entre a bochecha e o nariz. "Foi uma catanada", diz, enquanto faz o relato de que este acontecimento está relacionado com o assassinato da sua mãe e do seu pai. Xanana ficou impressionado com ela por causa da sua história. Eu fiquei impressionada com ela por causa desta bela frase: "Tenho esta cicatriz e não me envergonho. Ela é uma marca da guerra!"
Caramba! Já senti tanta vergonha por cicatrizes, com toda a certeza, menos evidentes. Já revelei tanta falta de coragem em situações, com toda a certeza, menos dramáticas.
Pode ser que tenha aprendido alguma coisa com a Flávia de Jesus. Há cicatrizes que não devemos ter vergonha de esconder... São marcas de guerra!

sexta-feira, 20 de junho de 2008

"Mãe é mãe!"

Hoje a conjuntura levou a Luísa a passar a tarde no meu local de trabalho. Questionada sobre se estava contente por estar comigo, respondeu prontamente: "Mãe é mãe!" E Sorriu. E eu chorei...

Boneco desarticulado

Quando me confronto com a realidade, com os fantasmas e com a incerteza no futuro, fica uma equação demasiado confusa na minha cabeça. Sinto-me um boneco desarticulado. Emocionalmente falando, claro, porque coordenação motora ainda tenho... apesar dos tremeliques!

quarta-feira, 18 de junho de 2008

Prazeres


Ele há lá coisa melhor para uma mulher do que comprar sapatos?!?! Ainda por cima aos dois pares de cada vez?!?! Pois hoje satisfiz este meu prazer com a compra de dois pares de sapatos... Assim, num impulso! Toma lá!

Estou feliz até agora!!! Viva quem inventou os sapatos!!! VIVA!

OST roubada

Obrigada M.

segunda-feira, 16 de junho de 2008

A nossa vida pela sabedoria de Chico Buarque*

– Olá! Como vai?
– Eu vou indo. E você, tudo bem?
– Tudo bem! Eu vou indo, correndo pegar meu lugar no futuro... Evocê?
– Tudo bem! Eu vou indo, em busca de um sono tranqüilo...Quem sabe?
– Quanto tempo!
– Pois é, quanto tempo!
– Me perdoe a pressa - é a alma dos nossos negócios!
– Qual, não tem de quê! Eu também só ando a cem!
– Quando é que você telefona? Precisamos nos ver por aí!
– Pra semana, prometo, talvez nos vejamos...Quem sabe?
– Quanto tempo!
– Pois é...quanto tempo!
– Tanta coisa que eu tinha a dizer, mas eu sumi na poeira dasruas...
– Eu também tenho algo a dizer, mas me foge à lembrança!
– Por favor, telefone - Eu preciso beber alguma coisa,rapidamente...
– Pra semana...
– O sinal...
– Eu procuro você...
– Vai abrir, vai abrir...
– Eu prometo, não esqueço, não esqueço...
– Por favor, não esqueça, não esqueça...
– Adeus!
– Adeus!
– Adeus!

*Obrigada R.A.

Hello Kitty Power!!!

Cá em casa vive-se, com intensidade, o amor pelo primeiro ídolo!!! Enquanto for este, apesar de enjoativo e demasiado cor-de-rosa, estamos bem...

Tailândia em resumo

Nesta viagem consegui ter o melhor e o pior. Fui feliz, fui infeliz e vivi uma experiência de "quase morte". Ainda ando a digerir toda esta informação. As pessoas fantásticas que conheci e com quem convivi durante 10 dias, com quem ri (muito) e chorei (muito), o país que nos prega partidas em cada esquina, ora com as suas paisagens deslumbrantes, ora com a iminência das catástrofes. Tudo passa por jantar no deslumbrante "Vertigo", serpentear os rápidos (não muito rápidos) da reserva natural de Kaolak numa jangada de bambu, andar de elefante numa floresta improvisada, aprender a cozinhar comida thai, lançar balões (carregados de desejos ) na praia ou percorrer os canais de Bangkok. Estes momentos mágicos, convivem paredes meias com as sinaléticas do Tsunami, que não nos deixam esquecer que ali se viveu uma tragédia gigantesca há quase quatro anos, e com a inconstância meteorológica, em que na época das monções é mais expressiva, que nos pode pregar sustos de morte. Mas sobrevivi. Sobrevivemos! Talvez fosse esta a altura ideal para perceber que a tempestade que está a atravessar a minha vida um dia vai passar e que, o mais certo, é que vá sobreviver também. Embora às vezes tenha muitas dúvidas... Como tive dentro daquele barco...

sexta-feira, 6 de junho de 2008

Tailândia #1 (Bangkok)

Estou há 40 horas sem dormir...
Depois de uma viagem interminável cheguei por fim à Ásia. Nunca tinha cá estado e é, sem dúvida, uma cultura distinta da nossa. A língua, o aspecto fisico dos nativos, os cheiros, a forma como conduzem (são loucos e o trânsito é caótico), as centenas de templos em adoração ao Buda (hoje fui abençoada por um monge, pode ser que dê sorte), a comida (meu deus, como é picante, mas boa!), o calor, a submissão aos turistas, a prostituição, a contrafacção... Já estou cheia de coisas boas para recordar e isto tudo foi só no primeiro dia em Bangkok.
Sempre que possa passo por aqui para deixar mais impressões e momentos.
Amanhã sigo, bem cedo, para um mercado flutuante...
Agora vou dormir, que também mereço.

quarta-feira, 4 de junho de 2008

Até já


Estou de partida... volto dia 14! Eu vou e vai comigo tanta coisa... Como disse a alguém esta semana: "Vou de pulseira electrónica!"

segunda-feira, 2 de junho de 2008

Contagem decrescente... ou crescente?

Entrei em contagem decrescente para a minha viagem ao que muitos consideram ser um dos paraísos na Terra. As expectativas são grandes e o timing ainda melhor. É hora de aproveitar e fazer contas à vida, para saber o que quero MESMO, MESMO, MESMO para mim. Pode parecer um bocado dondoca esta coisa de viajar para nos resolvermos. Mas a verdade é que, à medida que a data da partida se aproxima, ando de coração mais leve, sinto-me entusiasmada (como há muito não sentia), tenho iniciativas (como há muito não acontecia) e, melhor do que tudo, consegui voltar a rir-me... Oh caramba! Que bom que é! Não sei se me vai resolver, mas hoje estive feliz e isso é que importa. Pode ser que tenha começado a minha contagen crescente...

domingo, 1 de junho de 2008

Fim-de-semana

Entre a praia e o Rock in Rio (para ver as Docemania), este foi um fim-de-semana de beijos e birras, mas foi o nosso fim-de-semana. Estou orgulhosa!

sábado, 31 de maio de 2008

Mimo

- Mamã, vens ter comigo à casa da praia?
- Vou querida!
- E ficas lá comigo?
- Claro que sim!
- Então vou dar-te muitos beijinhos!!!

RIR

Fui ver-te... Estavas decadente como era de esperar... o esforço foi quase inglório, mas lá estavas em pé (pelo menos a tentar estar de pé) a declarar o amor da tua vida em todas as músicas que cantaste. Em todas elas arranjaste maneira de colocar o nome dele (Blake). O amor é realmente uma coisa que não se explica, mesmo quando tudo indica que nos vai destruir...

quinta-feira, 29 de maio de 2008

Amores

"Todas as mulheres me são indiferentes. Já nem consigo distingui-las umas das outras. São equivalentes, excepto aquelas de quem sou amigo, como é o teu caso... E tu? Como vais de amores?" By Eric Rohmer

Gianna Nannini-Il Profumo

Estou viciada nesta italiana maluca...

Mensagens

Durante a tarde de hoje fui surpreendida pelas maravilhas do mundo do email. Um grande bem-haja quem nos faz sorrir!

Perfume

Ontem, ao chegar a casa, a Luísa inspirou fundo e disse à sua "nanny": "Cheira à minha mamã. Humm, que bom!"
Não é a coisa mais linda do mundo, quando a nossa cria nos identifica pelo cheiro?

quarta-feira, 28 de maio de 2008

Falta muito?

Como é que se desata este nó que me aperta a garganta???? Onde o choro passa o dia sofucado à espera de um momento mais oportuno para se poder soltar...

Gianna Nannini - Aria

Porque sim... porque é bonito!

terça-feira, 27 de maio de 2008

Lutas


Luto cada minuto para não me deixar derrotar... Há minutos em que consigo vencer, outros em que me deixo derrotar. Mas a verdade é que sobrevivo a tudo. Às derrotas e às vitórias. É como se estivesse a viver num jogo de computador (daqueles que o meu irmão jogava incessantemente quando era miúdo), na esperança de que as vidas que tenho em carteira sejam infinitas. Ou melhor, é como se por cada vitória minha fosse conquistando novas vidas e passando para um novo nível. Mas ao contrário dos jogos, onde a cada nível aumenta o grau de dificuldade, aqui (que por acaso é a mesmo a minha vida) vai sendo mais fácil, como se fosse percebendo as manhas do computador (esse grande sacana). Também acontece perder e ter que voltar atrás... Ah, mas nada que um reiniciar não resolva.
Ontem ouvi esta frase: "As guerras ganham-se batalha a batalha e as batalhas bala a bala!"
Ainda estou na fase do "bala a bala"... Eh pá, mas eu sou uma Tomb Raider em potência! Acho eu...

Urgência

O que eu dava por um abraço assim... até aos pés!

Foca-te no trabalho!!!!